Vítor entre a fantasia e o real!

/
2 Comments


O livro O Sofá Estampado, escrito pela autora brasileira Lygia Bojunga Nunes, foi publicado pela editora José Olympio, no ano de 1980. A autora obteve reconhecimento internacional com este livro, ao receber o Prêmio Hans Christian Andersen, considerado o Prêmio Nobel da Literatura Infanto juvenil. Esta história traz bichos como personagens, sendo o protagonista um tatu, chamado Vítor, que contesta alguns valores da sociedade atual, centrada na televisão e na sociedade que vivencia a problemática da criança, acuada dentro do núcleo familiar.
Trata-se de uma história não linear, organizada em pequenos capítulos, que se sucedem não cronologicamente. A narrativa principal é interrompida pelas histórias de novos personagens, que se incluem na história.
Vítor, o tatu, cresce, convivendo com o seu problema de se engasgar e tossir demasiadamente. Toda vez que se via em alguma situação difícil, vinha uma crise. E com ela vinha o seu subterfúgio: cavar. Cavava em qualquer lugar que estivesse, desde em um parque com terra fofa a até dentro de uma casa, no chão de cimento. Nessas escavações, o livro mostra o Vítor voltando ao seu passado. Estes episódios mostram o caráter em desenvolvimento do jovem, que ainda está em busca de sua personalidade e buscando descobrir aspectos do passado ainda mal resolvidos. Grande papel na vida do tatu tem sua avó, uma tatu antropóloga que viajava muito e que toda vez que voltava, lhe contava muitas histórias. Ela passou ao neto toda a paixão dela por descobrir cada vez mais este mundo. Depois da formatura de Vítor, ele resolve viajar. Nesta viagem se depara com muitos aspectos do mundo, que dentro de casa, vivendo com os pais, não percebia. A volta para casa acontece, mas ela não significa o fracasso, pelo contrário, significa o contínuo descobrir da vida.
Lygia Bojunga Nunes usa uma linguagem somente sua. Seus diálogos são vivos e este registro coloquial está presente também no discurso do narrador. A fantasia é a atmosfera de suas histórias, antropomorfizando objetos, por exemplo, como a mala da avó de Vítor. Todavia, percebe-se no seu estilo, a habilidade de misturar o real com a fantasia. Lygia começou sua carreira como atriz, e isto deixou raízes fortes no seu estilo, demonstrado também nos trechos de monólogos interiores de cada personagem.
Uma das virtudes da literatura infanto-juvenil é que ela pode ser destinada tanto para crianças e jovens quanto para adultos. Qualquer criança já alfabetizada e com a mente e o coração cheio de fantasias, irá adorar percorrer esta linda história.
A leitura do livro O Sofá Estampado contribui muito para o seu leitor, uma vez que alimenta a fantasia, não tão corriqueira às crianças de hoje e que também contesta valores da sociedade atual.

Virginia de Mello Neumann
Acadêmica do 2° ano do Curso de Letras Licenciatura da Univille




Posts relacionados

2 comentários:

Marco - uma cena poética disse...

Olá,

Já está definida a nossa temporada no galpão de teatro da AJOTE.

Abraço
Equipe da CIA Rústico Teatral

Í.ta** disse...

que bom texto, para um livro tão bom quanto.

é uma história que encanta, sim, sem dúvida.

Tecnologia do Blogger.