Da missão do honroso homem

/
0 Comments

Honrar a pátria, a sociedade e o título que recebeu. Essas são apenas algumas das obrigações do herói ao anunciar sua aceitação ao status de representante e redentor. O caminho percorrido pelo herói, mito ou santidade é a análise proposta por Joseph Campbell em sua obra O herói de mil faces (Ed. Pensamento, SP, 2007). Diferentes períodos e civilizações da história da humanidade nos deixaram como heranças mitos, lendas e contos que ilustram suas vivências, superações e expectativas. Experiências que, reais ou não, convivem cotidianamente (de forma espectra) com populações ocidentais e orientais do mundo contemporâneo. O que faz com que um mito sobreviva por tanto tempo? Por que os heróis e seus feitos ainda nos provocam a sensação de medo e euforia? O autor recorre aos rituais para nos esclarecer e aproximar das histórias que ouvimos, lemos e, incrivelmente, nos identificamos. É através de uma série de ritos que entramos num novo mundo, numa nova realidade. Renascemos a cada porta aberta, a cada aceitação de convite que a vida nos proporciona. Ser herói é perceber o desconhecido e enfrentar novas realidades. Aquele que concordar com os trajetos oferecidos terá que enfrentar dois grandes momentos definidos por Campbell como separação e transfiguração que são, respectivamente, o deixar algo que lhe traz segurança (o autor faz referência à simbologia do útero materno) e a transformação da batalha vencida em satisfação a um grupo ou sociedade. Não seriam essas as raízes de nossos medos de sermos heróis? Somos cobrados diariamente por nossas conquistas e castrados por nossos fracassos. Vivenciar a experiência do herói é, acima de tudo, enfrentar arquétipos, superar perdas e ter domínio da situação enfrentada. É preciso sair do lugar comum e fazer a passagem pelo limiar, alimentando a possibilidade de uma jornada homérica ou quixotesca. O herói deve se livrar do interior da baleia (mais uma vez a segurança) e se lançar aos braços das possibilidades, ainda que seja uma queda sem rede. Campbell, definitivamente, nos faz crer e entender o papel dos mitos, contos e lendas nos dias atuais.

Livro: O herói de mil faces
Autor: Joseph Campbell
Tradução: Adail Ubirajara Sobral
Editora: Pensamento
Número de Páginas: 414
Ano de Publicação: 2007

Silvio Leandro da Silva
Pesquisador Voluntário do Prolij


Posts relacionados

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.